Fim das redes sociais

Fim das redes sociais no Brasil

Para os que não sabem inglês: “Nota aos usuários (do Rumble) no Brasil. Devido a demandas do governo brasileiro (leia-se Alexandre de Moraes) de remover produtores de conteúdo de nossa plataforma, Rumble agora está inacessível no Brasil. Nós estamos recorrendo dessas demandas do governo brasileiro e temos a esperança de restaurar o acesso em breve.

Você já se preparou para viver sem redes sociais no Brasil em 2024? Se você sabe o que está se passando no Brasil certamente viu alguma publicação sobre a saída da rede social de vídeos Rumble do Brasil. Rumble é uma rede social de vídeos que surgiu no Canadá em 2013 com a proposta de preservar a liberdade de expressão em um momento em que empresas como Google, dona do YouTube, vinha censurando pessoas que apoiavam o presidente Donald Trump dos EUA.

Aqui no Brasil, o agente das trevas, Alexandre de Moraes, determinou ao Rumble o bloqueio do canal no Rumble do apresentador Monark, que deixou o país para não ser preso e hoje tem asilo político nos EUA, assim como Allan Santos. O Rumble, fiel a sua premissa básica, recusou o pedido de censura e optou por bloquear o acesso dos brasileiros a sua plataforma. É claro que se você entende minimamente de Internet já percebeu que usando uma VPN (Virtual Private Network) pode continuar acessando o Rumble sem problemas. Mas a maioria não quer ter esse trabalho.

O que eu vim aqui dizer a você e a todos que usam as redes sociais no Brasil, em caráter pessoal ou profissional ou ambos, é que a meta do governo ilegítimo de Lula da Silva e seus comparsas no TSE e STF é fazer com que as demais redes sociais sigam o exemplo do Rumble e deixem o Brasil.

Censura com máscara de “democracia”

Antes de se retirar para suas férias em praia privativa no nordeste, o presidente ilegítimo Lula da Silva publicou um decreto sobre “cibersegurança” que é a porta de entrada para a censura das redes sociais no Brasil. Certamente ele fez isso com o aval e suporte de seus parceiros de crime no STF. O governo já deixou claro que vai tentar aprovar no “congresso” – que mais parece a casa da mãe Joana – o PL 2630, que se propõe a “combater” as fake news mas, na verdade, vai criar um ambiente irrespirável para as redes sociais no Brasil, levando-as (TODAS) a adotarem a mesma atitude do Rumble.

Isso porque esse PL 2630 determina que as redes sociais serão responsáveis por aquilo que for publicado em suas plataformas – um absurdo que a Suprema Corte dos EUA já vetou – e, ainda, terão que remunerar obrigatoriamente os autores de conteúdos toda vez que alguém compartilhar um vídeo. Imagine só: se alguém compartilhar um vídeo da TV Globo, a plataforma (YouTube, Facebook, Twitter) terá que pagar um valor à TV Globo. Já imaginou?

Se isso for aprovado, e os deputados e senadores corruptos do Congresso vão garantir a aprovação desse absurdo, as redes sociais ESTARÃO FORA DO BRASIL EM 2024.

Assim como o Rumble em 2023.

Se você ainda não parou para pensar nas consequências disso, veja o seguinte: milhares de empregos serão perdidos, milhares de pequenas empresas que vivem da produção de conteúdo para redes sociais irão falir e a comunicação no Brasil vai voltar ao passado, quando, para nos informarmos, tínhamos que ligar a TV ou o rádio ou comprar um jornal.

E o Brasil se tornará igual à Coréia do Norte e China no que diz respeito ao bloqueio da Internet e das redes sociais. Aí vai aparecer o idiota útil que vai dizer: “Ah, baixa uma VPN que tudo estará resolvido”. O abutre Alexandre de Moraes já ventilou em uma entrevista a possibilidade de multar em R$ 100.000,00 qualquer um que for pego usando VPN em seu celular. Recentemente, a Gestapo particular de Moraes, a PF, abordou pessoas que usavam uma camiseta com os dizeres “FORA LULA” no Rio Grande do Norte, tirando fotos de seus RGs, para punição posterior, apenas porque protestavam contra o cachaceiro mór da República. Você duvida que os corruptos que governam o Brasil irão às últimas consequências para impedir o povo de continuar a se informar pelas redes sociais?

A culpa pelo que está acontecendo no Brasil é exclusivamente nossa. Somos capazes de uma revolta quando nosso time de futebol perde ou é rebaixado, mas silenciamos ante um governo e um judiciário corruptos que tentam transformar o Brasil numa ditadura comunista. Em 2024 as coisas vão piorar muito. Vamos continuar em silêncio?

Segundo um estudo da empresa Comscore, o Brasil é o terceiro país que mais consome redes sociais em todo o mundo. O estudo mostra que esses canais são a preferência dos brasileiros frente a outras categorias online, elevando o país à terceira posição entre as nações que mais consomem redes sociais em todo o mundo – atrás de Índia e Indonésia, e à frente de Estados Unidos, México e Argentina. Você pode ler a matéria toda aqui.

Isso significa que milhares e milhares de profissionais, que vivem de criar conteúdos para essas redes sociais, serão duramente afetados com o bloqueio às redes sociais no Brasil. Além disso, a única versão dos “fatos” que teremos à nossa disposição será a da TV Globo e outras redes corruptas, devidamente compradas pelo governo.

É preciso começar a mostrar a deputados e senadores o que vai acontecer a eles se eles permitirem que um governo e judiciário corruptos imponham a censura à Internet no Brasil. É hora de mostrar a eles que o apoio à censura terá consequências graves para eles. A omissão agora custará muito caro ao Brasil e a milhares de profissionais que lutam para sobreviver em um país onde apenas os corruptos e os bandidos prosperam.

Não se omita. O preço disso será avassalador. Quer conhecer o site da Future Press Israel? Clique aqui.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

3 × five =